quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Por Causa do beija-Flor, da Tartaruga, da Garça e da Arara

Ia fazer uma enquete, mas tinha medo que desse empate entre eu e o Suposto, e acabasse não chegando a lugar nenhum. Entonces, aproveitei que estive por Rio e São Paulo na última semana e troquei a enquete por uma pesquisa de campo.

Seguinte:

Já vinha reparando num fenômeno aqui em Porto Alegre, mas achava que podia ser paranóia ou qualquer outra nóia minha. Daí resolvi verificar no eixo mais famoso do Brasil se o troço era consistente. E era.
O fenômeno: a extinção total de todas as espécies de beija-flores, tartarugas, garças e araras da fauna dos caixas vinte e quatro horas em Porto Alegre, Rio e São Paulo. Não falo de qualquer banco eletrônico, Unibanco, Bradesco, ou Itaú. O ecossistema em questão é o Banco 24 Horas, aquele vermelhinho e branco, onde todo mundo – ou quase todo mundo – pode sacar.
Faço aqui uma aposta, Suposto. Larga o texto agora, pega teu cartão do banco e vai sacar uma grana num dos caixas colorados já referidos. Vai lá. Garanto que vai, em certo momento, surgir a informação: este terminal está operando apenas com notas de R$ 20,00 e R$ 50,00. Só micos e onças. Quer três araras? Uma arara e uma garça? Beija-flores, tartarugas? Babau, vai no teu banco porque, atenção Greenpeace, Ibama, WWF, essas espécies não habitam mais os Bancos 24 Horas. Como os dinossauros, extintas. Um minuto de silêncio por elas. Ou melhor, 30 segundos, porque não é bom dar bobeira em frente ao caixa eletrônico.

Mas daí pergunto: o que causou isso? Mais uma vez foram os interesses (e eu já fiz isso, mas refaço: por favor leia a última palavra com voz de Brizola), então, foram os (voz de Brizola) interesses econômicos que provocaram a extinção desses bichinhos? É mais negócio pralguém, pro Seu Banco 24 Horas, que a gente saque de vinte em vinte, cinqüenta em cinqüenta, do que aos trocados? Por quê? Economiza papel? Não consigo explicar isso, mas é o que parece, querem que a gente tire mais dinheiro sempre que vai sacar, não é? Será isso uma medida pra movimentar a economia? Ou gerar energia eólica? Dinheiro na mão é vendaval. Na minha é.
Mas e, se de tanto usarem as pobres micos e as classe-média-altas oncinhas, essas espécies também forem extintas? Restará somente esse espécime raro no Brasil, a garoupa, que ninguém viu, mas juram estampar a nota de 100? Como faço pra sacar dinheiro no fim do mês? Peço meia garoupa? Parece até coisa de restaurante.
Pelo sim, pelo não, pela ecologia, pela multiplicação das espécies, tenho ido nos bancos 24 horas em última necessidade. Até porque, além de eliminarem tantos bichinhos das nossa carteiras, ao que consta, esses caixas sempre matam ao menos uma tartaruga da minha conta quando uso o serviço deles.

2 comentários:

Emir disse...

hahahha, o artigo vale um minotauro. Show.

Julia disse...

virei tão leitora do teu blog que tá nos links do meu! hehehe beijosss.