quarta-feira, 15 de abril de 2009

Por Causa do Dog

Essa é daquelas que me fazem achar que eu moro na Globo. Não, não vi o Lima Duarte almoçando do meu lado, nem a Cássia Kiss pegou o ônibus comigo.

Tô falando é da última Veja Melhor de Porto Alegre, que saiu com gostinho de final de novela.

Peraí, deixa eu explicar que tá ficando tudo enrolado.

Foi assim:

Inspirado por um comercial na TV Ulbra, escrevi há meses sobre o Cachorro do R, outrora do Rosário, lembram? Quer dizer, lembra, Suposto. E elocubrei no final do texto o porquê de o cachorro do R ser do “do R” e não do Rosário, apesar de haver ainda um cachorro do Rosário. E minhas elocubrações passaram por uma trama novelística, que dizia assim:

Putz, Suposto, tu viu esse comercial? Tu já viu uma coisa dessas? Já tinha ouvido falar de advogado de porta de cadeia, mas será que foi um advogado de porta de lancheria que teve a idéia de registrar a marca e passar a perna no simpático tiozinho do bigode branco? Ou terá sido um racha na família Cachorro do Rosário? Digo assim, o herdeiro direto do seu José Cachorro do Rosário, o José Cachorro do Rosário Jr. (ou Salsichinha do Rosário pra turma da rua) naquele clichê de jovem empreendedor, cansado das manias romanticoartesanias do patriarca, teria passado a perna no velho pra modernizar a sua herança? Será? Quis expandir os negócio e porque o pai não queria, deu o golpe do registro de marca.

E pra minha surpresa – e do Suposto também – me aparece uns dias depois um simpático comentário:

Caro Reginaldo é com grande orgulho e extrema satisfação que venho através desta agradecer do fundo do meu coração o post que escreveste no teu blog sobre o Cachorro-quente do R (em frente ao colégio Rosário).
È graças a clientes fiéis e verdadeiros como você que meu lanche é vendido há mais de 40 anos no mesmo lugar sem tele-entrega nem filiais.
Não tenho palavras para expressar o quão emocionado fiquei quando li o seu comentário e senti que realmente entendeu a mensagem que quis passar a todos os que apreciam meu lanche, alguns até amigos de longa data, os que vi crescer ali junto ao longo desse 46 anos quando comecei apenas com uma humilde carrocinha, e que hoje continuam me acompanhando nesta jornada.
Agradeço pela confiança que depositasse na minha carrocinha aquela que se manteve firme e forte mesmo depois de várias mudanças de hábitos e fast-food porto-alegrense e saibas que lhe desejo sorte em sua jornada, que Deus lhe ilumine e lhe conceda sucesso assim como concedeu a mim.
Atenciosamente
Osmar Ferreira Labres


Primeiro pensei Não, o Suposto tá de galhofa comigo, tirando de Suposto Brincalhão. Mas eis que comentei o ocorrido com pessoas aqui e ali, até que começaram a surgir boatos de que É isso mesmo, cara, deve ser o dono do Cachorro do R, parece que a história dele é bem assim como tu escreveu, etecétera, etecétera e etecétera.

Camarada, fiquei estupefato (legal se dizer estupefato), mas fiquei assim mesmo com o fato de eu ter imaginado a história como ela é e, mais ainda, com a prova de que essas coisas rocamboliconovelescas acontecem sim, ali, na esquina do Colégio do Rosário. Que coisa, não? A arte e o Por Causa dos Elefantes imitando a vida?

Mas, além de estupefato, também tive uma tristezita. A trama da novela tava acontecendo sim, na vida real. Mas e o final feliz, cadê o final feliz, hein? O Seu Cachorro do R teve a marca roubada pelo filho, tinha que fazer comercial ressaltando que não tinha telentrega, mas nada daquele final redentor pro nobre personagem.

Queria falar com o Manoel Carlos, com o Aguinaldo Silva, a Gloria Perez, com quem estivesse escrevendo esse folhetim pra saber como é que o núcleo do cachorro-quente ia se dar bem nessa história.

Aí, sete meses depois, tou eu, abrindo a Veja Melhor de Porto Alegre, olhando quem ganhou o quê e com quem que eu me deparo na categoria cachorro-quente?

Ele: Cachorro-quente do R.

E veja o que diz a Veja:

A mesma carrocinha campeã em 1998, 2000, 2001, 2004, 2005 e 2006 foi escolhida pelo júri deste ano. Mas o nome de quem faz o melhor cachorro-quente de 2009 mudou de Cachorro-quente do Rosário para Cachorro-quente do R. Uma tradição desde 1962, sob o comando de Osmar Ferreira Labres, o lanche continua igual: é no mesmo lugar, saboroso como antes, com 700 unidades montadas por dia e treze empregados se desdobrando no atendimento. Localizado em frente ao Colégio Rosário, tem as enormes filas de sempre, ao meio-dia e no final da tarde. Os fregueses podem escolher o sanduíche com uma ou duas salsichas (R$ 4,50) ou com linguiça (R$ 5,70), e variados complementos: molho de tomate, ervilha, queijo ralado, pimenta, mostarda, maionese, óleo de oliva e salsa. Outra opção é a versão míni, servida no pão de 50 gramas (R$ 3,20). A mudança de nome ocorreu por uma disputa familiar: as filiais e a tele-entrega do Cachorro-quente do Rosário pertencem ao filho de Osmar. Eles não se falam mais, pois o sucessor teria registrado a marca e aberto outros estabelecimentos, a revelia. Por isso, o original, na frente do Colégio Rosário, perdeu o nome. Mas ganhou outro título.

Tcharam, sobe trilha, enxuga as lágrimas, bate palma e comemora. Chegou o final feliz, a justiça foi feita e acho que o Seu Cachorro do Rosário Jr deve estar embarcando num jatinho, fugindo para longe, pra sumir como um bom vilão, que um dia pode voltar.

Agora ando de olho pra ver se não tem nenhum amigo meu pra casar.
Que não existe final de novela sem essa cena.

5 comentários:

Diego Giesen disse...

Amigo pra casar? Tem, o Mateus.

Também vi a Veja e lembrei da tua "suposta dedução".

Vou te dizer que até me deu vontade de ir comer um Cachorro do R.

abr

Renata W. disse...

Bah!
Me lembro desse post, comentei nele!
Portanto, me considero figurante da trama.
Que bom, final feliz pro simpático Sr. Cachorro do R!
E o Cachorro do Rosário Jr. é a própria Maria de Fátima da Vale Tudo.
(Referência do tipo "confesso que vivi os anos 80".)
Bj

Pena Cabreira disse...

Que beleza! O filho sacaneando o pai. Personagens do Dostoiévski soltos na Independência.
Parabéns Reginaldo, grande sacada e tacada.
Pena Cabreira.

Nataniel Kuhn Vanzetta disse...

Eu casei.
:)

(e, por curiosidade, a palavra de confirmação do comentário é "comebr")

Abraço!

Gérson Lattuda disse...

A novela está pronta. Genial!!